Pesquisa de Clima Organizacional: O que é, como e quando realizá-la

Você sabe o que é uma pesquisa de clima organizacional?


Está sentindo que os membros da sua empresa não estão muito engajados?


A pesquisa de clima organizacional é fundamental para saber o que os colaboradores pensam sobre a organização.


Você vai descobrir como eles estão se sentindo e encontrar pontos de melhoria para aumentar a motivação e, consequentemente, a produtividade na sua empresa.


Ficou interessado e quer entender melhor sobre a pesquisa?


Então não perca tempo e leia o nosso post!


O QUE É A PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL?


A pesquisa de clima organizacional, ou PCO, é uma ferramenta utilizada na gestão de pessoas que visa mapear o ambiente de trabalho pela percepção dos colaboradores, os pontos positivos e negativos.


Visa ainda colher o grau de satisfação dos colaboradores com a empresa, seus colegas de trabalho e suas funções.


E ainda, mensurar se o ambiente de trabalho é equilibrado e emocionalmente saudável, dois fatores que impactam diretamente no aumento da produtividade, na atração e retenção de talentos em uma empresa.


Ela pode ser aplicada através de um formulário em meio físico ou virtual, o importante é que todos os colaboradores tenham acesso a ele e que suas respostas sejam anônimas.


O objetivo do PCO é analisar os padrões comportamentais, conflitos internos e insatisfações por parte dos colaboradores. Devido a isso, ele é bastante eficiente para estabelecer um canal de comunicação entre os colaboradores, gestores e o setor de Recursos Humanos (RH).


Agora que você já sabe o que é uma pesquisa de clima organizacional, você deve estar se perguntando como ela pode ajudar a sua empresa.


Então vamos ao próximo tópico.


POR QUE IMPLEMENTAR UMA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL NA SUA EMPRESA?


Ao realizar essa pesquisa, buscando conhecer o dia a dia dos seus colaboradores, os gestores e o setor de RH conseguem criar um lugar específico para coletar reclamações e pontos de melhoria percebidos pelos colaboradores.


Além disso, ao questionar sobre as atribuições dos colaboradores e se eles acreditam estarem sendo sobrecarregados ou não, se desempenham tarefas simples demais para suas qualificações ou não, tem-se a possibilidade de realocar esses membros para novas áreas onde serão melhor aproveitados.


Com isso, aumentamos seu nível de satisfação, e de quebra o de rendimento, além de diminuirmos a rotatividade na empresa.


Outro ponto importante, é que ao realizar o PCO com determinada frequência, gera-se nos colaboradores o sentimento de serem ouvidos. E ao de fato realizar ações para melhorar o ambiente interno, eles se sentirão atendidos e irão ser mais sinceros na próxima pesquisa.


Esses são apenas alguns dos pontos positivos que podem vir a ser alcançados com a implementação da Pesquisa de Clima Organizacional na sua empresa.


Com todos eles, temos uma melhora no clima organizacional, que segundo Coda é o indicador do grau de satisfação dos membros de uma empresa em relação a diferentes aspectos da cultura ou realidade aparente da organização.


Talvez agora você esteja se perguntando por que isso é importante.


Bem, para Payne e Mansfield o clima organizacional é considerado como o elo conceitual de ligação entre o nível individual e o nível organizacional, no sentido de expressar a compatibilidade ou congruência das expectativas, valores e interesses individuais com as necessidades, valores e diretrizes formais.


Ou seja, ele mede o quanto os colaboradores se identificam com a empresa em que trabalham, e quanto maior esse índice melhor será o engajamento desse colaborador com seu trabalho e a empresa.


QUANDO REALIZAR UMA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL NA SUA EMPRESA?


Apesar do que muitos empresários acreditam, salários e benefícios não são tudo que um funcionário procura ou o que o manterá motivado em suas funções, levando-os, com o tempo, a diminuir sua produtividade devido a insatisfação com seu trabalho.


Então, o que eles querem?


Melhores condições no local de trabalho? Feedbacks frequentes e construtivos? Crescimento na carreira? Conhecer melhor os planos estratégicos da empresa? Colegas de trabalhos mais amigáveis e companheiros? Horário de trabalho mais flexível?


As respostas podem variar bastante de pessoa para pessoa e para coletá-las usamos justamente a pesquisa de clima organizacional, que pode ser vista como uma pesquisa de satisfação dos funcionários com a empresa em que trabalham e sobre como ela influencia em outras áreas de suas vidas.


Então de modo mais preciso, segue abaixo alguns indicadores que sinalizam quando uma nova pesquisa deve ser realizada:


Aumento do absenteísmo


Se refere a um aumento na ausência dos colaboradores no ambiente de trabalho, dever ou obrigação, através de faltas, atrasos ou saídas, podendo ou não serem justificadas, que de um modo ou de outro acabam afetando o funcionamento e produtividade da empresa.


Aumento na rotatividade


Ou seja, a alta demanda de reposição dos funcionários, visto que eles se demitem ou acabam por ter uma produtividade tão baixa ou comportamentos indevidos que levam a sua demissão.


Isso cria uma grande perda de talentos, alto custo com treinamentos, sobrecarga no setor de RH e um possível mau funcionamento nos setores afetados.


Aumento das reclamações dos clientes


Ao serem atendidos por funcionários desmotivados e irritadiços, os clientes ficam insatisfeitos.


Aumento do retrabalho


Isso é causado pela desmotivação dos funcionários, que os leva a fazer suas atividades sem atenção ou cuidado cometendo, portanto, mais erros.


Aumento de licenças médicas


Esse aumento ocorre devido aos fatores que causam insatisfação nos funcionários, seja nas instalações ou com seus colegas e superiores, eles acabam por adoecer.


Aumento das reclamações dos funcionários


Ocorrem em qualquer lugar e momento, afinal não há um momento ou local adequado para manifestar sua insatisfação com a empresa seja buscando seus superiores ou a seus colegas de trabalho.


Com esses indicadores se manifestando, e por favor não espere por todos ao mesmo tempo, vemos a necessidade de realizar algo para mudar essa situação.


Mas antes de agir, é importante saber quais ações devem ser tomadas, quais são as medidas que mais causam insatisfação e como elas poderiam ser remediadas.


No entanto, existe um ponto a ser considerado.


A pesquisa de clima não deve se limitar a ser utilizada apenas quando esses indicadores aumentam, ela pode (e deve) ser utilizada para evitar que isto ocorra.


Muitas empresas realizam pesquisas de satisfação com seus colaboradores semestral ou anualmente para que problemas, como os citados, sejam evitados.


Além, é claro, de realizar as medidas cabíveis para aumentar a motivação e satisfação dos colaboradores, proporcionando um ambiente estável e saudável aos mesmos.


Aqui na Focus Consultoria, por exemplo, realizamos uma pesquisa de clima com os membros todo semestre.


Além disso, também rodamos um 360º, uma pesquisa voltada a coletar feedbacks de todos os membros sobre seu setor e outros membros da Focus individualmente. Podem ser críticas, conselhos ou elogios, cuja frequência também é semestral e de caráter anônimo.


ENTÃO, COMO ELABORAR UMA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL PARA A SUA EMPRESA?


Isso já foi mencionado antes, mas vale lembrar que é crucial que os colaboradores se sintam confortáveis em responder a pesquisa.


Eles devem ter a certeza de que o que dirão não irá afetá-los negativamente, o que de fato não deve ocorrer.


Eles também devem estar cientes sobre o que a pesquisa se trata e como isso irá beneficiá-los, tornando-os mais suscetíveis a serem honestos em suas respostas.


Um ponto importante, se refere ao caráter anônimo desta pesquisa, o que também colabora com o aumento da honestidade e confiança dos resultados.


Como dito antes, ela pode ser realizada através de formulários impressos ou on-line, sendo apenas importante que todos os funcionários consigam respondê-la.


Outro ponto a ser levado em consideração é utilizar tanto perguntas diretas quanto indiretas, assim como fechadas e abertas.


Mesmo com a devida apresentação dos objetivos da pesquisa e a segurança do questionário ao ser respondido de forma anônima, alguns funcionários podem se sentir coagidos a não mencionarem determinado objeto que tem lhe proporcionado desconforto e as perguntas indiretas os levam a descrever esse assunto sem que percebam.


Ainda, deixar campos abertos é excelente para proporcionar aos funcionários carta branca para relatar os mais diversos problemas que os têm incomodado. Vale ressaltar que a estrutura da pesquisa fica a total critério da empresa.


A pesquisa de clima organizacional é como um termômetro sobre a empresa e ele deve ser criado focando nas informações que a empresa deseja colher.


No entanto, devem ter perguntas gerais abordando temas como o ambiente físico, os benefícios (recebidos e almejados) e a comunicação interna.


Temas mais subjetivos tais como: trabalho em equipe, relacionamento com os superiores, segurança do emprego, diversidade e respeito também precisam ser levados em consideração, ainda que por vezes os resultados não sejam conclusivos.


A pesquisa de clima só vai ser de fato efetiva se a liderança se envolver com ela e se comprometer a realizar as mudanças necessárias.


A boa implementação é fundamental, começando por um bom planejamento e indo até os indicadores que serão usados para analisar o ambiente interno. Destaca-se que os indicadores devem ser objetivos e focados em temas que podem ser modificados, de forma a causar impacto no ambiente interno.


Ressalta-se que é necessário disponibilizar tempo adequado para avaliar todas as respostas, avaliar as mudanças necessárias, empregá-las e garantir que são suficientes e eficazes.


Uma dica, é arquivar os resultados das pesquisas antigas para acompanhar as mudanças e a evolução da implementação da ferramenta.


Para finalizar, nada como um exemplo não é mesmo?


A seguir, estão os três principais modelos de Pesquisa de Clima Organizacional que podem ser aplicados em empresas genericamente, de acordo com os recentes trabalhos de Luz, Rizzatti e Pereira:


  • Modelo de Litwin e Stringer (1968);

  • Modelo de Kolb (KOLB et al., 1986);

  • Modelo de Sbragia (1983).


Além desses três modelos, apresentamos estes quatro que possuem ênfase específica em algum assunto ou categoria de uma organização ou no estudo do clima organizacional:


  • Modelo de Coda

  • Modelo de Kozlowski

  • Modelo de Levering

  • Modelo de Rizzatti


Vale ressaltar que cada empresa é única, assim como o momento pelo qual ela está passando.


Esses modelos são excelentes para trazer base a elaboração da pesquisa, mas não se esqueça de sempre adaptá-los à realidade da sua empresa.


Ainda, ressalta-se que a pesquisa necessitará de grande atenção na análise de seus resultados e nas medidas cabíveis, evitando assim a má execução do PCO ao causar a perda de confiança dos colaboradores, além é claro de despender recursos infrutiferamente.


E aí, vamos aplicar uma Pesquisa de Clima Organizacional na sua empresa?


A Focus Consultoria oferece essa solução!


Quer receber dicas e conteúdos como esse e vários outros de forma totalmente gratuita?

Então se inscreva em nossa newsletter no início dessa página para receber em seu e-mail e acompanhe nossas redes socias!


Gostou do texto?

Curta e comente o post!


Foi útil para você?

Compartilhe com alguém que precisa dessas informações!


Texto por:

Giuliana Moreti

gmoreti@id.uff.br

15 visualizações0 comentário
COMO PODE NOS ENCONTRAR:

Endereço: Rua Recife, s/n - Prédio Multiuso

Jardim Bela Vista, Rio das Ostras - RJ

(Devido às orientações de saúde, nossa sede está fechada temporariamente.
Continuamos com atendimento online.)

Segunda à Sexta: 09:00 às 19:00

  • Black Whatsapp Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone LinkedIn

Copyright © 2017 Focus Consultoria - Todos os direitos reservados