Recrutamento e seleção: entenda o passo a passo desses processos



Não se é segredo para ninguém que o maior e o mais importante patrimônio que uma empresa possui são os colaboradores. Dessa maneira, formar uma equipe alinhada com os objetivos e metas da empresa é vital para o sucesso do empreendimento.


Mas será que é uma tarefa fácil encontrar membros qualificados capazes de trabalhar em equipe, visando alcançarem resultados satisfatórios?


O departamento pessoal ou de recursos humanos normalmente são os responsáveis por encontrar o profissional com as competências necessárias para trabalhar na organização, através de técnicas de recrutamento e seleção usadas nos processos seletivos.


Mas afinal o que vem a ser os processos de Recrutamento e Seleção?


Recrutamento


De acordo com Flippo (1961) entende-se recrutamento como “um processo de procurar empregados, estimulá-los e encorajá-los a se candidatar” a vagas de uma empresa específica.


Em outras palavras, o recrutamento tem por objetivo principal fazer com que pessoas qualificadas se sintam inclinadas e encorajadas a se inscrever no processo seletivo de uma determinada empresa ou estabelecimento.


Faz-se necessário uma organização prévia, tendo como intuito traçar estratégias para atrair candidatos com o perfil desejado. Pode-se dizer que, a fase de recrutamento dá um auxílio ao processo de seleção.


Você sabia que existe mais de um tipo de recrutamento?


  • Interno: busca de candidatos de dentro da própria organização para atuarem em outros cargos;


  • Externo: busca de candidatos diretamente do mercado de trabalho (sendo este, o que vamos abordar aqui);


Passo a passo do Recrutamento Externo



1. Investigar a demanda da organização


O primeiro passo é investigar na organização qual de fato é a demanda, isto é, buscar compreender as qualificações e áreas de atuação desejadas para cada vaga. Para isso, o recrutador precisa trabalhar em conjunto com o gestor, no propósito de delinear cada cargo a ser preenchido, levando em consideração as particularidades de cada setor, em outras palavras, se é necessário identificar as soft skills e hard skills desejadas, as atribuições e funções a serem desempenhadas. É de suma importância que, também sejam definidos benefícios, o regime de contrato e remuneração.


2. Divulgação de vagas


O segundo passo do recrutamento é a divulgação das vagas que possuem como principais fontes:


  • Banco de currículos;

  • Anúncios em jornais, revistas, rádio, televisão;

  • Anúncios na internet;

  • Anúncios na própria empresa ou estabelecimento;

  • Consultorias especializadas;

  • Contatos com universidades e escolas;

  • Contatos com diretórios acadêmicos e centros de integração empresa-escola;

  • Indicações.


É válido destacar que o recrutamento está diretamente relacionado ao mercado de trabalho, em outras palavras, o mercado de trabalho possui uma grande influência no recrutamento, pois dependendo da situação econômica do país (crise econômica) se têm uma maior oferta de mão de obra do que vagas a serem preenchidas.


Além disso, o processo de recrutamento se dá quando há um turnover, ou seja, uma rotatividade de colaboradores ou quando se tem a necessidade de ampliação das atividades na empresa. É importante adicionar que, essas vagas podem ser permanentes ou de caráter temporário/ sazonal. Tendo como um bom exemplo dessa última o Natal, muitas empresas e estabelecimentos aumentam o seu quadro de funcionários no mês de dezembro, pois a quantidade de pessoal existente na organização, muitas das vezes, é insuficiente para atender ao público.


3. Busca de novos talentos


Tendo definidas as demandas da organização para cada cargo, o segundo passo é procurar candidatos que atendam aos requisitos básicos exigidos para o preenchimento da vaga. É aí que se inicia, de fato, a busca de novos talentos. Acredita-se que, essa fase é essencial em todo e qualquer processo seletivo, pois ela pode tanto prejudicar quanto facilitar a organização.


Portanto, é crucial que a empresa trace um plano estratégico numa tentativa de atrair os candidatos mais qualificados. Você sabia que muitas organizações optam por contratar serviços terceirizados especializados em encontrar esses talentos no mercado de trabalho?

Um exemplo disso seria a Focus Consultoria.


Seleção


A seleção de indivíduos para a sua empresa é um dos projetos mais importantes para um bom funcionamento desta, se feita de forma apropriada. As pessoas escolhidas neste processo seletivo irão compor o campo de colaboradores da sua empresa, e agirão ativamente nos projetos desta, contribuindo não só para os serviços como também para a imagem dela perante a sociedade. Essas são algumas atribuições que são essenciais de se manter em mente quando se aprova alguém no processo seletivo!

Se você não quiser se dar ao trabalho de pensar em analisar pessoas para entrarem em sua empresa, mas quiser garantir que pessoas competentes e alinhadas serão aprovadas, entre em contato conosco!

Recrutamento e Seleção

1. Defina as etapas do seu Processo Seletivo

Não existe receita de bolo para escolha de pessoas. Algumas empresas fazem múltiplas etapas para analisar melhor as subjetividades de cada indivíduo e poder entender mais profundamente as competências destes. O quanto fazer depende inteiramente de cada empresa e de sua “personalidade” frente ao mercado.

2. Dinâmica de Grupo

Geralmente esta é a etapa primeira nos processos seletivos, sendo uma fase que primordialmente busca compreender as capacidades de trabalho em grupo que cada um tem, podendo perceber atitudes que dirão se a pessoa possui boas habilidades sociocomportamentais, como:

  • Companheirismo;

  • Boa comunicação;

  • Proatividade;

  • Criatividade;

  • Atenção aos detalhes;

  • Empatia;

  • Entre outras.


Você pode escolher entre realizar dinâmicas em grupos pequenos ou no grupo total de pessoas em processo de seleção, embora seja aconselhável a divisão em pequenos grupos para que se analise com mais precisão sobre cada um presente.

Um exemplo de dinâmica de grupo é separar as pessoas em grupos de 4 a 6 pessoas e pedir para que criem em conjunto um produto ou um serviço e separem as tarefas de cada um para desenvolver o projeto imaginário, com funções definidas para cada um, com tempo limite. Depois o grupo deve apresentar para os recrutadores sobre o projeto que fizeram, onde todos devem participar da apresentação.

Ali é possível ver pessoas que se destacam como líderes do grupo, pessoas que mais pensam em boas ideias e também os que não se esforçam para participar da atividade.

3. Entrevista

A entrevista com o recrutador é um dos momentos geradores de mais ansiedade no Processo Seletivo, já que é um tempo exclusivo do recrutador com o entrevistado. É essencial que a entrevista ocorra de maneira tranquila, sem perguntas pessoais, para não atrapalhar no rendimento do processo.

  • Estude anteriormente o currículo do candidato; Não deixe nada para cima da hora. Mostre ao candidato que você prestou atenção no currículo que ele enviou e peça mais informações ou detalhes sobre as antigas experiências de emprego ou cursos que ele realizou.

  • Crie um roteiro de perguntas estratégicas; Para não se perder e para poder analisar de forma organizada e rápida as informações que você deseja captar do indivíduo.

  • Peça que ele se apresente; Falar de si não só é um bom quebra-gelo como também oferece boas informações para o recrutador, não só sobre emprego, mas também habilidades e passatempos da pessoa.

  • Veja se as competências e habilidades do candidato para a vaga que ele busca são alinhadas com o que a empresa deseja; A pessoa pode ser ótima e ter um bom caráter aparentemente, mas se não for um bom profissional e for alguém que não se identifica com a missão e os valores da empresa, é desvantajoso.

  • Pergunte sobre as qualidades dele; É vantajoso perguntar para ter uma ideia da autoimagem do candidato, qualidades que serão provadas posteriormente e que serão úteis para um bom rendimento no trabalho.

  • Pergunte sobre defeitos do candidato; Ninguém é perfeito, ainda que possa aparentar dessa maneira. O candidato deve se mostrar transparente acerca de si mesmo e suas limitações, e ao fazer isso o recrutador pode também compreender como o indivíduo olha para si mesmo, sendo o defeito um problema real ou não. Além disso, é possível identificar o nível de autoconhecimento que a pessoa tem, e se seria, por exemplo, capaz de perceber suas próprias falhas sem precisar de um feedback constante.

  • Questione-o sobre sua visão de futuro. Pergunte ao candidato sobre quanto tempo ele se vê trabalhando na empresa, quais suas expectativas para o cargo e até mesmo o porquê dele escolher entrar neste processo seletivo.


4. Entrevista com Diretoria Executiva

Na Focus Consultoria nós temos essa etapa, em que consiste uma pequena reunião da diretoria da empresa com o candidato individualmente, para que ele faça uma apresentação curta sobre si mesmo e depois responda perguntas rápidas feitas pela diretoria. É uma etapa opcional, visto que cada empresa pode personalizar as etapas do processo seletivo como achar melhor e mais apropriado em seu meio.

5. Processo Trainee

Passadas todas essas fases, chegamos então à última. Aqui é onde os candidatos aprovados até então vão poder provar as competências antes ditas e conversadas em outras etapas através da prática. Nessa fase se tem geralmente algum nível de responsabilidade dos trainees sobre algum aspecto da empresa. Eles podem, por exemplo, participar de pequenas tarefas por algum tempo e entregar o resultado no fim do período trainee, ou então fazer uma pesquisa para a empresa, de forma a mostrar suas habilidades e ainda aprender sobre a área. Tudo é personalizado de acordo com o que é mais importante para cada empresa, sendo esta uma fase que não contém uma maneira exatamente correta de conduzir, além de ser profissional. Tudo vai depender da realidade de cada empresa.

E é por aqui que ficamos! Tem alguma dúvida que não foi tirada ainda? Quer se aprofundar